• Maria Mariana Xavier

O empreendedorismo trans

Atualizado: Mai 10


A população Trans no Brasil


Atualmente, segundo estimativas da Antra, Associação Nacional de Travestis e Transexuais, aproximadamente 1,9% da população brasileira, ou seja, aproximadamente 4 milhões de pessoas, se autodeclaram como transexuais. Apesar disso, mesmo que a Defensoria Pública da União esteja se esforçando para conseguir comprovar essa estatística junto com o IBGE, ainda faltam dados no Brasil sobre a população de transexuais, travestis e transgêneros.

O mercado de trabalho


Mesmo que o Brasil não possua estatísticas exatas sobre a população trans e seu mercado de trabalho, a Organização Internacional do Trabalho (OIT), publicou, em 2016, um estudo indicando que apenas 10% da população trans ao redor do globo trabalhava formalmente, ou seja, com proteção das leis de trabalho. Isso deve-se principalmente à discriminação presente nas empresas, que muitas vezes fecham suas portas para as pessoas trans, deixando-as em situação de vulnerabilidade social, desemprego e sem nenhuma perspectiva de estabilidade financeira. Como consequência, uma grande porcentagem de pessoas não-cisgêneras se volta para trabalhos informais para poder se sustentar, o que muitas vezes os colocam em situação de risco e perigo.


O empreendedorismo


Empreender, desse modo, mostra-se como uma alternativa para as pessoas trans se inserirem no mercado e começarem a prover para si mesmas. O empreendedorismo é um espaço de criação de empregos e que auxilia o desenvolvimento do país, quando em conjunto traz a inclusão social, torna-se uma alternativa positiva para todos os envolvidos. Segundo a analista de negócios e gestora de empreendedorismo feminino e comunidades do Sebrae-SP, Camila Ribeiro, abrir o próprio negócio torna-se uma maneira de transformar positivamente as vidas da população LGBTQI+, aumentando a liberdade pessoal, auto estima, e alcançando a autonomia e estabilidade financeira.


Não obstante, o empreendedorismo LGBTQI+, e mais especificamente o trans, também traz benefícios para o país. Isso foi provado com os relatórios elaborados pelo Instituto estadunidense Williams e pelo Banco Mundial, países e empresas que não são inclusivos em relação às pessoas LGBTQI+ tendem a perder dinheiro ao deixarem de fomentar o desenvolvimento do país.


Empreendedores Trans


Sabe-se que empreender não é algo simples e que não pode ser feito sem planejamento, principalmente para pessoas em situação de vulnerabilidade. Contudo, há no Brasil histórias bem sucedidas de pessoas trans que conseguiram começar a empreender e que se tornaram exemplos no empreendedorismo.


Um caso é o da dupla Fernanda Kawani Custódio e o Guttervil Guttervil, que criaram a primeira loja colaborativa trans no Brasil, a Translúcida, onde são vendidos produtos feitos por pessoas LGBTQI+ para todos os públicos. Essa loja foi idealizada pela Fernanda, no momento em que ela percebeu que as oportunidades de trabalho para pessoas trans eram escassas, quando não inexistentes. Portanto, ela e Guttervil decidiram explorar o empreendedorismo e começaram a loja, que atualmente existe tanto online como fisicamente, em São Paulo, e que irá se expandir para além de comercializar apenas produtos, mas também serviços de beleza e fotografia. A loja possui a “Visão de um futuro onde todos corpos dissidentes tenham mais oportunidades no mercado de trabalho e no meio empreendedor, nossos valores focam na ética e respeito pela raça, prenome, peso, condição social, classe econômica, identidade de gênero e sexualidade de todo ser humano na sua maior pluralidade”.


Outro caso muito interessante de empreendedorismo trans é o da Maite Schneider, fundadora da plataforma EmpoderaTrans, que conecta empreendedores trans e o público, divulgando o trabalho deles. A ferramenta é gratuita e busca trazer empoderamento e autonomia para a comunidade. Para Maite, diversidade e empreendedorismo tem algo em comum: a reinvenção. Ambos impulsionam e exigem que a reinvenção seja algo constante, de modo que a mudança seja alcançada e a inclusão das pessoas trans se torne uma realidade. Ademais, a empreendedora afirma que “empreender é não apenas uma forma de fazer isso, mas de fazê-lo driblando as dificuldades que o mercado de trabalho impõe, e enquanto ajuda outras pessoas e evita que elas passem pelos mesmos problemas”.


Como a Domani Consultoria Internacional pode ajudar?


A Domani acredita na construção do amanhã e em um Brasil mais empreendedor, ainda, nos consideramos como o combustível para a internacionalização e realização de sonhos.


Dessa forma, acreditamos na importância da consolidação de um empreendedorismo trans que traga oportunidades de crescimento, visto que é um instrumento de ascensão social ao passo que auxilia na autonomia e independência dessa parcela da população brasileira, além de contribuir para o desenvolvimento do país, proporcionando mais educação, equidade e inclusão.


Nós incentivamos o investimento em empreendedores e negócios de travestis, transexuais e transgêneros. Por isso, ressaltamos que a falta de incentivo e acesso às ferramentas que consolidam negócios trans no mercado pode ser revertida a partir do momento que reconhecemos os pequenos empreendedores - com grande potencial de crescimento - e incentivamos o seu desenvolvimento ao divulgarmos, comprarmos e acreditarmos.


Ademais, recomendamos aos nossos clientes e parceiros que busquem por negócios que tenham como um de seus objetivos o fortalecimento de minorias e contribuam para a sua inclusão no mercado. Dessa forma, para ser um promotor dessa luta por diminuição das desigualdades e fomentação de um mercado de trabalho mais justo e inclusivo, invista em projetos anti-transfobia e anti-lgbtfobia que, de fato, tenham impacto positivo na comunidade trans.


Por fim, relembramos que a recomendação de negócios é uma maneira de se investir e incentivar empreendedores trans. Assim, procure conhecer quem são os empreendedores trans que te cercam e os divulgue para os seus conhecidos. A indicação é uma das principais e mais eficazes ferramentas do marketing.


Dessa forma, a Domani Consultoria acredita que, para atendermos as necessidades de nossos clientes trans e, ainda, alcançarmos essas pessoas em maior número é preciso, inicialmente, buscar por uma conscientização interna. Por isso, contamos com nosso projeto intitulado “Diversitá” no qual trabalhamos semanalmente acerca de políticas de inserção e inclusão de grupos minoritários no mercado de trabalho - nacional e internacional.


Você é um empreendedor ou empreendedora trans? Tem interesse em exportar? Entre em contato conosco!

Nos siga nas Redes Sociais!

LinkedIn: Domani Consultoria Internacional (link);

Instagram: @domaniconsultoria (link);

Facebook: Domani Consultoria Internacional (link).

Peça sua Proposta!

61 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo