• Diretoria de Marketing

Açúcar adoça as exportações brasileiras em meio à crise da COVID-19


Desde o início da história brasileira, o açúcar desempenhou um papel essencial na economia, de sorte a se tornar um rentável produto de exportação. Apesar de não ser mais o carro chefe do agronegócio brasileiro, o produto continua ocupando uma posição de destaque no mercado internacional. Segundo dados da Yara Brasil, o agronegócio brasileiro lidera como maior produtor da cana-de-açúcar com 720 milhões de toneladas e 40% do cultivo mundial.


Felizmente, essa posição de realce do açúcar no mercado internacional não apenas se manteve, como progrediu, de forma a trazer boas notícias aos exportadores brasileiros mesmo em meio à pandemia.


Boas Notícias


Segundo a COGO, Inteligência em Agronegócio, a exportação do açúcar pode bater recorde na safra 2020/2021. Não só a produção aumentou nas usinas, como também as vendas dispararam: até o dia 27 de maio, a fila de embarcações que esperavam para carregar nos vários terminais ao longo da costa somava 72 navios, quase cinco vezes mais que os 15 que estavam na fila em igual período de 2019, em conformidade com os dados do Broadcast Agro.


De acordo com o integrante do comitê executivo do Grupo Tereos e presidente do Conselho Superior do Agronegócio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), Jacyr Costa Filho, o Brasil deverá exportar entre 28 milhões e 30 milhões de toneladas de açúcar nesta safra e garantir o equivalente a 50% da demanda global pela commodity.


Ainda, apenas a receita obtida com as exportações em maio foi de US$ 768,924 milhões, 61,77% a mais do que os US$ 475 milhões obtidos no mês de abril e 72,52% maior que a receita registrada em maio do ano passado, de US$ 445,701 milhões.


O clima promissor é devido a uma série de fatores: a valorização acentuada do dólar ante o real, que torna o açúcar brasileiro mais competitivo no mercado global, o incremento na produção açucareira, em decorrência dos baixos preços do etanol e da menor demanda pelo biocombustível, e a crescente demanda chinesa.


Principais Destinos


A Argélia é a grande importadora do açúcar brasileiro, porém outras nações têm se destacado e elevado a quantidade das exportações do produto, como os países do Oriente Médio e a China. De fato, as constantes compras chinesas neste ano deram suporte para o clima positivo, uma vez que o governo reduziu as taxas de importação do açúcar do Brasil e voltou a importar grandes quantidades para recompor seu estoque.


Além disso, os países árabes são o terceiro maior destino das exportações do produto e a demanda das nações islâmicas tende a aumentar, principalmente com o fim do Ramadã em maio.


Quer aproveitar esta oportunidade?


Você é produtor de açúcar e gostaria de expandir suas vendas para o mercado internacional? A Domani Consultoria Internacional pode te auxiliar em todas as etapas do processo de exportação de açúcar. Nossas soluções incluem análises dos melhores países para a exportação do produto, prospecção de possíveis compradores e o planejamento da internacionalização. Desse modo, somos capazes de guiá-lo(a) sobre questões burocráticas, logísticas e financeiras para que a exportação possa ser realizada da maneira mais satisfatória possível. Temos como objetivo ser o farol para a internacionalização de empresas e será um prazer para nós prover todo o conhecimento necessário para a sua exportação.


Nos siga nas Redes Sociais


LinkedIn: Domani Consultoria Internacional (link);

Instagram: @domaniconsultoria (link);

Facebook: Domani Consultoria Internacional (link).


Peça sua Proposta!




0 visualização

Receba as novidades em Comércio Exterior!

Nos acompanhe nas redes sociais

link.png
insta.png
face.png

Contato

Venha ser um

Agente do Amanhã!

© 2020. Domani Consultoria Internacional.