• Diretoria de Marketing

O Mercado Internacional de Bebidas Alcoólicas

A indústria de bebidas alcoólicas oferece uma gama de produtos variados. Em meio a esses produtos, a cerveja é a que mais é consumida no mundo, sendo que o Brasil ocupa a 3ª posição no consumo mundial da bebida. No que se refere ao mercado geral de bebidas alcoólicas, o Brasil é um país que possui números notórios quanto ao consumo, porém a produção ainda é pequena, se compararmos com outros países.


No que tange ao consumo interno nos dias atuais, afirma-se que, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais da metade dos brasileiros consumiram bebidas alcoólicas durante a pandemia, como por exemplo bebidas destiladas, cervejas e vinhos, o que acarretou em um aumento superior a 90% da compra destes produtos por serviços on-line.


Desempenho do mercado nos últimos anos




A figura acima mostra o desempenho das exportações brasileiras de bebidas alcoólicas nos últimos anos. Desse modo, vê-se que há uma estabilidade dos números nos últimos anos - sendo que o valor FOB ficou acima dos US $100 milhões em quase todos os anos avaliados.

A exportação de bebidas alcoólicas no Brasil representaram apenas 0,06% das exportações totais em 2020, com um valor de 136, 24 milhões de dólares, 5,3% maior do que em 2019. Entretanto, a balança comercial brasileira em relação a este produto é negativa, pois foi gasto 552,35 milhões no mesmo período com bebidas alcóolicas internacionais.

Com o intuito de incentivar a produção nacional e o aumento das vendas para fora do país, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) implementou, em 2019, a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Cerveja, uma parceria entre o governo, setor privado e pesquisadores que visa apoiar os produtores de cerveja e assim aumentar a fabricação da bebida no território nacional. Isto ocorre por meio de financiamento para a aquisição de máquinas e estímulos governamentais para a produção de cevada e outros compostos da cerveja.


Em termos de exportação, somente 1% da cachaça brasileira, a segunda bebida alcóolica mais consumida no país, é vendida para consumidores estrangeiros, sendo os principais: Estados Unidos, Paraguai e países europeus como por exemplo, Alemanha, Portugal, Itália e França. Esta relação com a Europa pode ser ainda maior caso o Acordo de Livre Comércio entre o Mercosul, bloco econômico em que o Brasil faz parte, e a União Europeia seja aprovado devido a diminuição de barreiras tarifárias.


Além disso, o produtor nacional interessado em vender bebidas alcóolicas para fora do país precisa conhecer as características dos respectivos mercados. Por exemplo, o México possui uma aderência maior a cachaças de até 1 litro. Os quesitos culturais e religiosos são outros fatores a serem levados em consideração, assim como os burocráticos, logísticos e financeiros.

Assim, a Associação Brasileira de Bebidas (ABRABE) é uma instituição existente desde 1974 com o objetivo de alinhar os interesses de fabricantes e importadores brasileiros de bebidas alcoólicas ao poder executivo, a imprensa e outros atores relevantes. As cinco linhas de ação da ABRAPE são:

  • Promover o desenvolvimento do setor de bebidas;

  • Realizar sustentavelmente as etapas de fabricação, processamento e embalamento;

  • Incentivar o consumo consciente de bebidas alcóolicas;

  • Fomentar uma concorrência justa entre os diferentes negociantes do setor;

  • Aperfeiçoar os produtos por meio de ciência, tecnologia e inovação


Principais Destinos


Em 2020, os países que mais importaram bebidas alcoólicas do Brasil foram o Paraguai, Bolívia, Argentina - em suma, os países sul-americanos foram os que mais compraram bebidas alcoólicas de origem brasileira. Dentro desse rol de países, ressalta-se que o Paraguai é o principal importador do produto de procedência brasileira, a participação do país nesse mercado foi de 54%, ou seja, mais da metade das exportações brasileiras de bebidas alcoólicas tem como destino o Paraguai. Cabe salientar ainda que as bebidas alcoólicas ocupam a terceira posição no ranking de produtos mais exportados ao Paraguai - as exportações representaram, em 2020, US $72,6 milhões (Valor FOB).



Exportação de bebidas alcoólicas em 2021


No atual ano, 2021, as exportações de bebidas alcoólicas têm aumentado. Na primeira metade do ano, houve uma variação positiva de 50,2% com relação ao mesmo período do ano passado. Apesar de que a participação de bebidas alcoólicas nas exportações totais do Brasil ainda seja baixa, os números evidenciam que essas exportações são promissoras, uma vez que o mercado já é consolidado, sobretudo com os países vizinhos da região sul-americana.


Como a Domani pode te ajudar?


À luz do que se precede, vê-se que as exportações de bebidas alcoólicas são um bom negócio para quem pretende vender no mercado externo. Tendo isso em mente, para que toda a operacionalização de exportação seja feita, se faz necessário ter conhecimento de uma série de informações sobre a melhor forma de exportar. Nessa direção, destaca-se que a Domani Consultoria Internacional possui experiência em auxiliar processos de exportação e importação há mais de 20 anos - sendo o farol para a internacionalização de empresas. Caso tenha interesse em alguma das nossas soluções ou possua alguma dúvida sobre eles, entre em contato conosco!


Veja mais em Nossas Soluções e Cases de Sucesso, e entre em contato para mais informações!

Nos siga nas Redes Sociais!

LinkedIn: Domani Consultoria Internacional (link);

Instagram: @domaniconsultoria (link);

Facebook: Domani Consultoria Internacional (link).





99 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo