• Cadijato B. Djaló

Exportações de carne bovina para mercado asiático

Introdução


Não é nenhuma surpresa que o Brasil é um grande produtor e exportador de carne bovina. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, o Brasil produziu, em 2021, quase 9,325 milhões de toneladas desse tipo de carne. Tal quantia, ainda que massiva, representou uma diminuição de produção com relação aos anos anteriores, sendo a menor produzida no quinquênio e configurando uma redução de 7,7% quando comparada com 2020. Todavia, mesmo com essa queda, o Brasil ainda é o segundo maior produtor de carne bovina mundial, atrás apenas dos Estados Unidos.


Nesse contexto, a grande maioria da produção é voltada para o comércio interno. Entretanto, a Associação Brasileira de Exportação de Carne (ABIEC) informa que um pouco mais de ¼ (26,07%) da geração de carne bovina é negociada para dezenas de outros países. A grande maioria dessa parcela é controlada por 39 empresas (que fazem parte da ABIEC). Conjuntamente, elas exportam 97% de toda a produção direcionada a outros países. Adicionalmente, esses negócios estão concentrados em cinco estados brasileiros, em ordem de predominância, Mato Grosso, São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais.


Entre esses países destinos, o grupo que mais se destaca é o dos países asiáticos, seguidos pela Europa e pela América do Sul. Sob uma ótica de nações importadoras, a China se apresenta como o maior parceiro brasileiro recebendo cerca de US$ 3,9 bilhões em carne bovina em 2021. Outros países de destaque são Hong-Kong, Chile, EUA e Egito.


As altas nas exportações de carne bovina principalmente para Ásia em 2022


A pecuária brasileira enfrentou vários desafios nos últimos anos, dentre eles o aumento de preços, embargo chinês e sobretudo diminuição de consumo de carne bovina. De acordo com a Embrapa, no ano de 2021 a pecuária brasileira sofreu com a falta de animais para fornecer ao mercado doméstico, por causa da crise econômica causada pela pandemia. Com a alta dos preços, o boi gordo permaneceu no primeiro semestre acima de R $300,00.


Para os produtores os problemas complicaram em setembro, quando a China, que importou 50% das 1,27 milhões de toneladas exportadas pelo Brasil no período de janeiro a setembro, cancelou as importações do Brasil depois de descobrir dois casos atípicos de encefalopatia espongiforme bovina (EBB) conhecida como doença da vaca louca.


Dessa forma, o impacto foi grave nas exportações brasileiras de carne bovina, com menos de 43% no volume e 31% na receita nos últimos anos. Segundo especialistas existe uma chance de em 2022, crescer as exportações de carne bovina brasileira, principalmente no mercado asiático.

Como a Domani pode te ajudar?


Possui interesse em exportar carne bovina para o mercado asiático, mas não sabe por onde começar? A Domani Consultoria Internacional pode te auxiliar e mostrar o caminho para a realização de todas as etapas necessárias para que o seu processo de internacionalização seja efetuado com sucesso. Nossas soluções incluem análises dos melhores países para a comercialização do produto.

Além disso, pesquisamos sobre selos e certificados, feiras e eventos internacionais para a promoção dos produtos. Também elaboramos prospecção de possíveis compradores ou fornecedores, incluindo o planejamento de internacionalização. Assim sendo, nós da Domani somos capazes de orientá-lo(a) sobre as questões burocráticas, financeiras e logísticas para que a sua exportação ou importação seja feita de uma forma autônoma e segura.


Ficou interessado(a) e quer saber mais ainda das nossas soluções? Veja mais em Nossas Soluções e Cases de Sucesso, e entre em contato conosco para mais informações!


Este post foi produzido por João e Cadijato

 

Nos siga nas redes sociais!


LinkedIn: Domani Consultoria Internacional;

Instagram: @domaniconsultoria;


Facebook: Domani Consultoria Internacional;






23 visualizações0 comentário