Aumento do setor de laticínios brasileiro chama atenção no comércio exterior.


O Brasil é um dos maiores produtores de leite do mundo e mais do que dobrou a produção nesse setor na última década, de acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). Além disso, as exportações brasileiras do setor de laticínios vem apresentando um grande potencial de crescimento, ligado principalmente ao aumento da produção de produtos lácteos e maior valorização deles no mercado internacional. Logo, o aumento da presença do Brasil nesse setor vem chamando a atenção de investidores nacionais e internacionais em busca de grandes oportunidades econômicas.


Conheça o mercado de exportação brasileira de laticínios


O mercado de exportações brasileiras de laticínios está ganhando cada vez mais destaque no mercado mundial e, recentemente, um queijo brasileiro alcançou o primeiro lugar no ranking do site americano The Taste Atlas. O site, considerado uma "enciclopédia de sabores", utiliza o feedback de seus usuários para avaliar os melhores alimentos de todo o mundo. Essa conquista é positiva e relevante não apenas para este grupo de produtores, mas para todo o setor lácteo, o qual vem apresentando constante crescimento no mercado interno. Além disso, o produto brasileiro também vem ganhando reconhecimento no mercado internacional devido, principalmente, à sua qualidade.


Graças ao seu clima tropical, pastagens verdes e práticas agrícolas de referência, o Brasil é referência na produção de carne bovina e lácteos notáveis. Logo, não é por acaso que o setor de laticínios no país, composto pelos segmentos produtores de leite e seus derivados (como creme de leite, leite em pó, iogurte, manteiga e queijos), apresenta-se como o 5º maior do mundo. Apesar disso, o Brasil é apenas o 28º exportador, em função da dominação da União Europeia no setor, seguida pela Nova Zelândia e Estados Unidos.


As tendências do setor lácteo


O leite e seus derivados, como o queijo, iogurte e manteiga são primordiais na base alimentar. A gama de produtos oferecida é extensa e proporciona variabilidades no consumo, sendo possível a utilização de lácteos tanto em receitas culinárias elaboradas quanto em um simples café da manhã.


Além de conquistar o consumidor pelo sabor, os produtos lácteos são ricos em diversos nutrientes, como o cálcio. E nos últimos anos, com o advento da pandemia, a preocupação com a imunidade e estado físico fez com que a população buscasse cada vez mais alimentos que proporcionam o bem estar geral. Em virtude dos diversos benefícios trazidos do consumo de produtos lácteos, a demanda nacional e mundial vem crescendo consideravelmente nos últimos anos e ganhando bastante espaço no que tange o mercado alimentício.



Panorama de importações e exportações


O mercado mundial de laticínios comercializa cerca de US$50 bilhões anualmente e, de acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), apenas 7% da produção mundial é comercializada a nível internacional. Isso se deve principalmente à natureza de consumo interno do que é produzido nos países. Além de ser um setor altamente regulamentado e protegido pelos governos nacionais.


No entanto, a constante expansão da produção de leite dá ao Brasil a oportunidade de se tornar um grande exportador de lácteos. Segundo dados do ComexStat, entre 2018 e 2022 houve um aumento expressivo de 198% nas exportações de leite, creme de leite e laticínios, exceto manteiga ou queijo, atingindo um patamar de 79,1 milhões de dólares e 31,3 mil toneladas. Apenas no último ano, o aumento foi de 38% nos valores exportados. O mercado de queijos também vêm apresentando bons indicadores, com 38% de crescimento acumulado desde 2018, representando um faturamento de 23,2 milhões e 4,61 mil toneladas.


No mesmo período, as exportações globais aumentaram apenas 11%, enquanto países com participações mais relevantes que o Brasil, como Suíça e Uruguai, tiveram queda de 12,8% nas vendas cada. A União Europeia, no topo do ranking, teve um crescimento proporcionalmente menor que o Brasil, em 11%. Em relação aos destinos, Estados Unidos, Argélia e Venezuela são os maiores parceiros, com 55,5% de participação no mercado. Entretanto, o Brasil já exporta atualmente para mais de 110 países, com destaques para América do Sul e grande potencial de crescimento para o Oriente Médio.



Como a Domani Consultoria pode te ajudar?


Possui interesse em exportar ou importar laticínios? A Domani Consultoria Internacional pode te ajudar sendo o farol para guiar seu processo de exportação ou importação. Com uma equipe de consultores capacitados, a Domani consultoria internacional pode mostrar o caminho para que o processo de internacionalização do seu negócio obtenha sucesso. Conheça nossas soluções que incluem Estudo de Mercado, Promoção Comercial, além do Planejamentos Burocrático, Logístico e Financeiro.

Não deixe de conferir nossos Cases de Sucesso, e entre em contato conosco para mais informações!


 

Nos siga nas redes sociais!


LinkedIn: Domani Consultoria Internacional;


Instagram: @domaniconsultoria;


Facebook: Domani Consultoria Internacional;



Referências Bibliográficas.


MAFRA, E. T. Queijos são caminho para Brasil se destacar no mercado de laticínios. Disponível em: <https://forbes.com.br/forbesagro/2022/08/carmen-perez-queijos-sao-caminho-para-brasil-se-destacar-no-mercado-de-laticinios/>. Acesso em: 15 out. 2022.


BRAZILIAN FARMS. Sueme Mori: “Dairy products: acknowledgment and search for new markets”. Disponível em: <https://brazilianfarmers.com/news/sueme-mori-dairy-products-acknowledgment-and-search-for-new-markets/>. Acesso em: 15 out. 2022.





120 visualizações0 comentário